Deus, um delírio é um livro engraçado”

August 27th, 2016 por Natasha Avital

dawkins_flip2009_sergio_fonseca

Talvez alguns jornalistas mais desavisados tenham se decepcionado ao avistar  Richard Dawkins na coletiva que o biólogo e escritor concedeu à imprensa no dia 02 de julho, mesmo dia em que proferiu sua palestra/bate-papo com Silvio Boccanera na FLIP. Afinal, com sua camisa decorada com hibiscos, típica de turistas em férias no Brasil, o homem guardava mais semelhanças com um simpático tio-avô do que com a imagem que a alcunha ”Rotweiller de Darwin” poderia evocar nos mais impressionáveis. Recém-chegado do Pantanal, de onde voltou devidamente impressionado (”Se eu desconhecesse a Evolução, teria caído de joelhos e exclamado Deve haver um deus responsável por tanta beleza”, declarou ele em certo ponto), o biólogo autografou livros ao final e até arranhou o português em alguns momentos.

Que ninguém pense por isso que ”o ateu mais famoso do mundo”, outro apelido que Dawkins ganhou da imprensa, é avesso a confrontos. Uma rápida olhada em alguns títulos de suas obras, tais como O Capelão do Diabo (The Devil’s Chaplain) e Deus, um Delírio (The God Delusion) seriam suficientes para afastar tal impressão. Com uma retórica ácida e um humor por vezes cortante, Dawkins não tem pudor em apontar o absurdo de crenças religiosas e os males delas advindos. O biólogo, que começou sua carreira literária com um esforço de tornar a Evolução um processo mais compreensível e atraente ao público leigo, voltou-se cada vez mais para a refutação da crença em deuses, em um discurso que já foi chamado pejorativamente de ”atheist preaching” (pregação ateísta). O estilo direto na abordagem do assunto já levou a situações surreais, como a tentativa (mal-sucedida) de um político em Oklahoma de proibir uma palestra do escritor em seu Estado.

As reações viscerais ao trabalho do cientista talvez sejam um sintoma de um fenômeno apontado por ele quando perguntado por um dos jornalistas presentes sobre o tom utilizado em Deus, um Delírio, obra consideravelmente mais incisiva do que The Blind Watchmaker (O Relojoeiro Cego), que desmistificava a noção de um criador inteligente (o ”relojoeiro” postulado por filósofos medievais), ao explicar o fenômeno da evolução das espécies através da seleção natural. ”Na verdade eu o considero [Deus, um Delírio] um livro engraçado. Não sei se o humor aparece na versão traduzida, mas espero que sim. Mas eu sei que muitos críticos o atacaram como um livro exagerado ou arrogante. Isto acontece porque todos fomos ensinados que não se pode atacar a religião, o que faz com que mesmo uma crítica bastante moderada e bem-humorada seja vista como agressiva, como uma pregação. [Deus, um Delírio] é um livro engraçado, é um livro gentil, que começa de uma forma gentil, lembrando da minha afeição pelo capelão da minha escola, que foi quem me ensinou religião. O livro contém muito mais empatia do que muitos dos críticos – que na verdade não o leram – acreditam.”

Talvez o termo ”pregação ateísta”, despido de seu caráter pejorativo, não seja de todo inadequado para descrever Richard Dawkins. O entusiasmo que o cientista nutre por seu objeto de estudo é contagiante. Questionado se a inteligência artificial é o próximo passo da evolução, ele, depois de comentar sobre as limitações do estágio atual do desenvolvimento de tal forma de inteligência, acrescenta:

”É bem provável que a ciência produzida daqui a um século nos pareça tão maravilhosa e estranha e misteriosa quanto a nossa ciência pareceria a um camponês medieval. A ciência e a tecnologia do século seguinte nos parecerá ser pura mágica. Eu diria que existe tanto para ainda ser feito pela Ciência que o resultado será muito mais maravilhoso, muito mais grandioso, até mesmo muito mais poético do que qualquer um que atualmente se considera espiritualista ou místico seria capaz de sonhar.”

Pós-Flip no Rio de Janeiro até 9 de julho

July 7th, 2009 por Sergio Fonseca

O público que perdeu a Festa Literária Internacional de Paraty, a Flip, terá uma chance de conferir o que pensam alguns dos escritores que participaram da festa. Nos dias 7, 8 e 9 de julho, às 19h30, o Oi Futuro promove a Pós-Flip, com três dias de debates. A entrada é franca.
 
Com mediação de Valéria Lamego, editora e pesquisadora acadêmica, e de Cristiane Costa, jornalista e doutora em Comunicação e Cultura, a Pós-Flip terá a participação de nomes como Edna O’Brien, Paulo Henriques Brito, Zuenir Ventura, Domingos de Oliveira, entre outros.
 
Programação

Terça-feira, 7  de julho

A tradução da liberdade
com Edna O’Brien, Xinran e Paulo Henriques Brito

Quarta-feira, 8  de julho

Relações íntimas
com Zuenir Ventura e Rodrigo Lacerda

Quinta-feira, 9  de julho

Vida à brasileira: ficção e realidade
com Arnaldo Bloch e Domingos de Oliveira
 
Oi Futuro
Rua Dois de Dezembro, 63 – nível 7
Rio de Janeiro- RJ
(21) 3131-3060
Entrada franca, distribuição de senhas a partir das 19h
Capacidade 84 lugares

O balanço da FLIP 2009

July 6th, 2009 por Sergio Fonseca

De 1 a 5 de julho Paraty se transforma num animado e efervescente centro de cultura, onde escritores se encontram com seus leitores, numa experiência enriquecedora para todos 

A FLIP 2009 teve 34 autores convidados – 15 estrangeiros, de sete países. Foram 13 mediadores, dois deles estrangeiros, e oito editoras representadas no evento que transformou de 1º a 5 julho o centro histórico de Paraty num efervescente ponto de encontro de escritores com seu público. “Acreditamos que a FLIP injetou pelo menos R$ 5 milhões na economia de Paraty”, disse Mauro Munhoz, diretor geral da FLIP, neste domingo, durante conferência de imprensa para fazer o balanço do evento. O público que assistiu as mesas nas tendas dos autores e do telão e participou dos eventos organizados na Casa da Cultura foi de aproximadamente 35.200 pessoas.
 
Ainda de acordo com o balanço de encerramento, a FLIP 2009 custou cerca de $ 3,7 milhões só para a festa literária, mais R$ 1,3 milhão para os programas sociais, urbanísticos e educacionais, como a Flipinha, atividade educativa que se desenvolve ao longo do ano. Do total, explicou Munhoz, R$ 920 mil resultaram de parcerias, ou seja, não envolveram recursos financeiros.
 
A grande novidade deste ano foi a criação da FLIPZona, programação voltada para jovens paratienses. Entre Flipinha e FLIPzona, houve um aumento de 30% no público do evento. “O site da FLIPZona até teve mais acessos do que o site da FLIP”, explicou Munhoz, lembrando que os cerca de 200 jovens participantes blogaram o evento todos os dias e chamam-se a si mesmos de “flipzoneiros”.
 
Outra grande inovação foi a formação de filas para autógrafos na Flipinha. “Pela primeira vez vimos o público sair correndo para comprar os livros, logo depois das Cirandas dos Autores, e voltar correndo para obter um autógrafo”, explicou Gabriela Gibrail, que é professora de um colégio estadual de Paraty e coordenadora de Conteúdo do Núcleo de Educação e Cultura da Associação Casa Azul. “Nunca antes tivéramos filas de gente em busca de autógrafos; tivemos de improvisar e criar uma estrutura mínima nos camarins para atender a essa demanda nova.”
 
Cristina Maseda, coordenadora da Flipinha, confirma e explica o sucesso: “Neste ano fizemos um manual da Flipinha – quase um livro, com fotos e biografias dos autores convidados, escritas por eles mesmos, e com indicações, pelos autores, dos seus livros preferidos”, explicou. “Em meados de abril, reunimos 600 professores da região de Paraty para distribuir o manual e realizar várias oficinas temáticas com eles. O resultado foi imediato. Desta vez, os professores conheciam os autores e, por isso, os próprios alunos desfrutaram muito mais das Cirandas.” A integração da população local foi tão grande que até os cenários da Flipinha foram todos feitos por gente de Paraty, especialmente de Taquari e da Ilha do Araújo, dois bairros particularmente pobres. Na coletiva de imprensa, Maseda lembrou que o FLIPzona também será um evento permanente, durante todo o ano, como a Flipinha.
Fonte: Assessoria de Imprensa da FLIP

Cristina Maseda e Flávio Moura – Coletiva de encerramento

July 6th, 2009 por Sergio Fonseca

Aconteceu às 14h15 de domingo a coletiva de imprensa com informações finais sobre a FLIP. Foram arrecadados quase 5 milhões de reais entre patrocínios, renúncia fiscal e troca de serviços. Segundo Mauro Munhoz, diretor executivo, mais uma vez a FLIP foi deficitária. No vídeo, Cristina Maseda fala sobre a FlipZona e Flávio Moura responde a perguntas de jornalistas. 

If you can see this, then you might need a Flash Player upgrade or you need to install Flash Player if it's missing. Get Flash Player from Adobe.

Capoeira na FLPINHA

July 6th, 2009 por Sergio Fonseca

Nesse domingo, data de encerramento da FLIPINHA, houve roda de capoeira com o professor Astronauta.

If you can see this, then you might need a Flash Player upgrade or you need to install Flash Player if it's missing. Get Flash Player from Adobe.

Mesa 6 – Evocação ao poeta

July 4th, 2009 por Sergio Fonseca

Foi muito a mesa 6 com Angélica Freitas, Heitor Ferraz e Eucanaã Ferraz. Carlito Azevedo fez a mediação e abriu o dia saudando o público com um caloroso “Boa noite a todos”, arracando gargalhadas. No vídeo, Eucanaã Ferraz.

If you can see this, then you might need a Flash Player upgrade or you need to install Flash Player if it's missing. Get Flash Player from Adobe.

Cantos de Euclides pelas ruas de Paraty

July 3rd, 2009 por Sergio Fonseca

Marcado para as 9h30, o espetáculo Cantos de Euclides encantou o público já nos ensaios pelas ruas.

If you can see this, then you might need a Flash Player upgrade or you need to install Flash Player if it's missing. Get Flash Player from Adobe.

Mesa 1 – Novos Traços

July 2nd, 2009 por Sergio Fonseca

Joca Terron apresenta os autores: “são quatro desenhistas, quatro criadores de histórias em quadrinhos e são escritores também (por que não?)”.

A leitura dos quadrinhos inova com “dramatização” sobre imagens projetadas. No vídeo abaixo, a leitura de Rafael Grampá. 

If you can see this, then you might need a Flash Player upgrade or you need to install Flash Player if it's missing. Get Flash Player from Adobe.

Mais detalhes sobre a mesa para quem segue o @Delflip no Twitter. Ele conseguiu capturar quase tudo, e tuitou em muitas vezes de 140 caracteres.

Já começou

July 1st, 2009 por Ane Aguirre

Oficialmente a sétima edição da FLIP começa hoje, às 19h com conferência de abertura na Tenda dos Autores e show de abertura na Tenda do Telão. Mas a verdade é que a festa começa quando se chega. Para algumas pessoas começou ontem ou antes. Marcelino Freire foi o primeiro escritor a chegar em Paraty e descobriu que aqui as cadelas chamam-se “Maya”. Ficou impressionado: Eta danado! Ontem pela manhã a festa começou para Ane Aguirre e Sergio Fonseca. Na Praça da Matriz a sensação de que a FLIP anterior tinha terminado ontem: acenava tranquilo Flávio Moura, sorria elegante Mauro Munhoz. É… começa quando a gente chega. Constatamos quando Delfin entrou esbaforido pela sala de imprensa com um aparelho celular que não sabia usar direto: começava para ele. Mais tarde, nos botecos da praça, constatava-se: já tinha começado para um bocado de gente, enquanto o pessoal da montagem das tendas continuava trabalhando incansavelmente madrugada adentro. Hoje pela manhã os gritos das crianças anunciavam passarinhando na praça, já era festa e dia de sol. Gay Talese elegante como só, caminhava pelas ruas de pedra. As tendas estão prontas (ou quase). Amigos se encontram ou se reconhecem. Gente do Twitter aparece em carne e osso. A livraria funciona e lojinha é um sonho de consumo tão colorido quanto o dia. A festa começa quando nos abraça.

Chegamos direto na FlipZona

June 30th, 2009 por Sergio Fonseca

Após deixarmos as malas na pousada, esquecemos toda a correria dos últimos dias. FLIP é assim. Equipamentos a postos, saímos circulando e fotografando a cidade. E foi numa parada para fotografar as super divertidas Gabrielle e a Maria Gabriela (elas estão na programação da Flipinha, amanhã, às 8h, com a peça Peripécias de Manuel Bandeira), que  encontramos o Sávio Rangel. 14 anos, está trabalhando como voluntário na FlipZona.  Sávio faz curso de fotografia com o Giancarlo Mecarelli, da Galeria Zoom de Paraty. Quer ser fotógrafo ou jornalista. Ainda não sabe. É muito cedo e ele tem um longo caminho. Sobre o trabalho na FlipZona, ele diz que mais importante que dinheiro é adquirir experiência. Vamos deixar o Sávio falar. Olho nesse garoto. Ele promete.

 If you can see this, then you might need a Flash Player upgrade or you need to install Flash Player if it's missing. Get Flash Player from Adobe.

Alguns detalhes antes de partir

June 28th, 2009 por Ane Aguirre

A festa começa na quarta-feira, dia 1° e vai até o domingo, dia 05.

Algumas recomendações importantes estão no nosso link “Dicas” . Passe ali e dê uma olhada antes de fechar a mala do carro ou ir para a rodoviária.

Há dicas de como chegar, tanto de carro como de ônibus.

Para melhor localização no Centro Histórico, o antigo mapa foi atualizado e é possível imprimir e levar na bolsa.

Para quem vai ficar em casa, é bom lembrar que as mesas de debates serão transmitidas pela Internet pelo Site Oficial.

Queremos lembrar que Paraty é uma cidade linda e pequena. Durante um evento do porte da FLIP, ocorre um aumento significativo de pessoas no lugar (o dobro ou mais). Há restaurantes ótimos, mas quem quiser almoçar com conforto, precisa não ter compromisso importante logo a seguir. É bom ter paciência e juízo. Evitar a irritação de quem tem pressa. Na FLIP a pressa não é só inimiga da perfeição, ela acaba sendo inimiga geral. O ideal é aproveitar a festa com bom humor e bom senso. Não xingar, não atropelar, não furar fila, não procurar “jeitinhos” para conseguir as coisas. Faz bem ser gentil e aproveitar o clima para colher boas amizades, conhecer bons livros e ouvir pessoas interessantes. Há banheiros químicos perto das Tendas. Em alguns restaurantes ou pousadas pode ocorrer falta de água após o segundo dia.

Fora da programação principal há muitos outros programas, é só dar uma olhada nas listas de programação da Casa da Cultura, FlipZona, Flipinha, OFF Flip. Nas comunidades no Orkut sempre surgem amigos e pessoas dispostas a promover encontros ou oferecer dicas de passeio.

Há várias pessoas que vão transmitir suas impressões através de blog, Flickr e Twitter (aliás, este, se tornou íntimo da FLIP deste ano com direito a matéria na Revista Época, onde também somos citados). Então, enumerando alguns Twitters que estarão pelas ruas de Paraty:
@te_chaves,
@MarcelinoFreire,
@odisseia,
@vereda_estreita,
@jocaterron,
@publishnews,
@Delflip,
@ladyrasta,
@cosacnaify,
@contrasenso,
@dinamarco,
@eduacarvalho,
@ProsaEVerso,
@dodoazevedo,
@poesiaemvolta,
@epocanaflip,
@carlarodrigues
e, claro, nós: @flip_parati.
Outros nomes podem ser indicados aqui nos comentários.

[A lista foi aumentando e ganhou página ali ao lado:
tuiteiros de plantão“]

A festa vai começar. Aproveitem.

Ingressos e procuras

June 28th, 2009 por Ane Aguirre

Quem comprou comprou. Quem não comprou entrou no esquema “alguém tem para vender?” Alguns conseguiram efetuar trocas entre amigos, outros aproveitaram as desistências de quem comprou ingressos a mais. Todos os anos acontece a tal desistência. Há pessoas que compram todas as mesas por nervosismo ou praticidade. Depois precisam se desfazer delas. Há quem desista de ir ao evento: numa festa em que tudo precisa ser milimetricamente planejado com meses de antecedência, quem pode prever os acontecimentos? Um fica doente, o outro precisa viajar a trabalho, alguém simplesmente perde a disposição. Enfim, esses são os que precisam se desfazer de seus ingressos e a essas pessoas não chamamos “cambistas” porque não cobram um único centavo a mais, ao contrário, se calhar devem cobrar um pouco menos para não ter prejuízo.

Foi divulgado pela imprensa o fato de não haver mais ingressos para a Tenda dos Autores (para mesa alguma). Em anos anteriores havia a possibilidade de comprar ingressos para Tenda dos Autores na bilheteria de Paraty, este ano não: a venda desses ingressos poderá acontecer eventualmente se houver desistências. Para a Tenda do Telão já não há ingressos disponíveis para as mesas 05, 10, 12, 14 e 15. No entanto, há ingressos para outras mesas (só para Tenda do Telão) à venda pela Ingresso Rápido até o dia 30.

A partir de 1° de julho só há possibilidade de venda de ingressos na bilheteria de Paraty. Não se sabe a quantidade de ingressos que podem estar disponíveis, depende da quantidade não vendida pela operadora de venda antecipada e também das eventuais desistências. A FLIP terá transmissão das mesas pela Internet e isto é uma boa alternativa para quem prefere a paz e a tranqüilidade do lar (sem falar na bela economia que se faz!). Além disso, pode ser acompanhada pelas informações em blogs, sites, comunidades de relacionamento, twitters e tudo que ainda puder ser inventado neste mundão tecnológico.

Aos que procuram os ingressos de amigos e conhecidos, queremos ser enfáticos no conselho: não alimente qualquer possibilidade de surgimento de cambistas nesta festa. Pedimos que observem atentamente a procedência do ingresso de seu amigo/conhecido. Os ingressos são produzidos com diversos itens de segurança, holograma e papel especial, por exemplo, e neles há nome e RG do comprador. O valor de cada ingresso está devidamente impresso: R$ 30,00 para Tenda dos Autores (+ R$ 4,50 se comprado por telefone porque a empresa cobra 15% de taxa de conveniência); R$ 10,00 para Tenda do Telão (+ R$ 1,50 se comprado por telefone). Não é certo pagar um único centavo a mais pelo ingresso do seu amigo camarada que desistiu. A FLIP é uma festa. Não permita que qualquer pessoa colabore para modificar a atmosfera de festa, de sorrisos, de boas descobertas e espantos.

UPDATE:

Contrariando as informações da imprensa, constatou-se que na noite de 29 de junho ainda era possível comprar (pelo site Ingresso Rápido) alguns ingressos para a Tenda dos Autores (portanto não havia esgotado) e ingressos na Tenda do Telão para mesas 05, 12 e 15.  O detalhe é que a taxa de conveniência que antes era de 15%, agora é de 20%. É a crise já provocando inflação?

Manuel Bandeira, novas edições.

June 27th, 2009 por Ane Aguirre

manuelbandeira-capa1    manuelbandeira-capa2    
 

As editoras Nova Fronteira e Nova Aguilar vão apresentar durante a sétima edição da FLIP as novas edições de Poesia completa e prosa e Estrela da vida inteira, de Manuel Bandeira, o autor homenageado deste ano.

Organizada por André Seffrin, Poesia completa e prosa, com mais de 1.700 páginas, é uma edição revista e ampliada de um trabalho que estava há mais de três décadas ausente das livrarias. Estrela da vida inteira compila as obras A cinza das horas, Carnaval, O ritmo dissoluto, Libertinagem, Estrela da manhã, Lira dos cinquent’anos, Belo belo, Opus 10, Estrela da tarde, Mafuá do malungo e Poemas traduzidos, além de incluir, neste relançamento, um CD de áudio com leituras de poemas feitas pelo próprio Manuel Bandeira.

Carlos Barbosa-Lima fará show em Paraty

June 26th, 2009 por Sergio Fonseca

A FLIP anda rica em programação. Para além da programação principal há uma diversidade de programas paralelos, circuitos alternativos e opções culturais abrindo leque para todos os gostos, idades e bolsos. Sem dúvida, quem estiver em Paraty no período da FLIP terá a maior programação paralela de todas as edições. Será até difícil escolher o que assistir. E a escolha não se restringe à programação literária. Os shows programados também são vários e ótimos. Além do de Adriana Calcanhoto com abertura de Rômulo Fróes, haverá outros dois, de excelente qualidade. O poeta, músico e cantador Luis Perequê encantará o público na Casa da Cultura com o show Eu, brasileiro, na noite do dia 2 de julho. No dia 4 de julho, no Restaurante Aconchego Grill (Pousada Aconchego), é a vez do violonista Carlos Barbosa-Lima fazer uma uma incursão no clássico europeu além de apresentar Villa Lobos, Gershwin, Tom Jobim, Ernesto Nazareth.

O paulista Carlos Barbosa-Lima começou a estudar e tocar violão aos sete anos de idade, ainda adolescente começou a gravar seus discos mais conhecidos. A partir de 1967 começou a fazer apresentações fora do Brasil, com performaces jamais vistas juntamente com orquestras conhecidas. Foi professor de música por muitos anos na Manhattan School of Music e atualmente mora em Porto Rico, gravando e fazendo apresentações pelo mundo.Seu estilo é o clássico misturando a música popular brasileira e jazz. Com a bagagem de toda uma vida dedicada à guitarra espanhola, Barbosa-Lima acredita que a América Latina está descobrindo agora seus valores musicais e culturais, o que favorece, segundo ele, o sucesso dos artistas da região no mundo todo. Acompanhado pelo bandolim de Marcílio Lopes, o guitarrista ofereceu, em Londres, um recital em homenagem a vários músicos brasileiros, entre eles Villa-Lobos “um dos grandes compositores de todos os tempos, não só do Brasil”, afirmou. O músico costuma ficar entre 10 a 15 dias em Porto Rico e três meses viajando pelo mundo. Em 2008 completou 50 anos de carreira. Fez turnê pela América Central, esteve em Belo Horizonte, tocou no Carnegie Hall, em Nova York e seguiu para o México e Espanha. Ver e ouvir Barbosa-Lima no Brasil é uma oportunidade rara.

If you can see this, then you might need a Flash Player upgrade or you need to install Flash Player if it's missing. Get Flash Player from Adobe.

Resultado do Prêmio OFF FLIP

June 25th, 2009 por Ane Aguirre

Os vencedores do Prêmio OFF FLIP de Literatura 2009 de acordo com  divulgação oficial estão abaixo, conforme categoria:

Categoria Contos
Categoria Nacional / Exterior

1°. Liliana Sofia Silva Ribeiro – Matosinhos (Portugal)
Solstício

2°. Luiz Fernando Bolognesi – São Paulo – SP
Na demolição

3°. Sandra Ciccone Ginez – São Paulo – SP

4°. Edison Roberto Lotério – Rio Claro – SP
Teus olhos são verdes como o mar

5°. Luciana Silva Veita – Porto Alegre – RS
Liliana

6°. Lilian Fontes – Rio de Janeiro – RJ
Sem Saída

7°. Zetho Cunha Gonçalves – Lisboa (Portugal)
O inferno e a morte na palma da mão

8°. Fernanda Pisani Meneguetti – São Paulo – SP
Dezoito anos

9°. Helena German – Belo Horizonte – MG
Alma gêmea

10°. Amilcar Mendes Inácio – Agualva Cecém (Portugal)
O tipo com idade de ser pai dela

Menção Honrosa
Contos Categoria Nacional/ Exterior

Alexandre Mercki – São Paulo – SP
Santos

Carlos Alberto Ribeiro Lima – São Paulo – SP
Autênticas sim senhor

Débora Didonê Sanches – São Paulo – SP
Depois do maiô puído, muito prazer!

Elvina Maria Caetano Pereira – São Paulo – SP
Os três ramos

Leonardo Nabuco Villa-Forte – Rio de Janeiro – RJ
Monólogo a dois

Poesia
Categoria Nacional / Exterior

1°. João Maria Henriques Negreiros – Emersinde (Portugal)
Sem título

2°. Vivaldo Andrade dos Santos – Washington (Estados Unidos)
As botas

3°. João Ricardo Terra – São José do Rio Preto – SP
Do signofruto

5°. Hélen Queiroz – Rio de Janeiro – RJ
O colecionador

6°. Ricardo Thomé – Rio de Janeiro – RJ
Poema em torno de uma rosa

7°. Fabio Tubenchlak – Rio de Janeiro – RJ
Bom comboio

8°. Cesar Américo Barreira Cardoso – Rio de Janeiro – RJ
Carochinhas brasileiras

9°. Carlos José Dantas – Araraquara – SP
Inspiração

10°. Analu Andrigueti
[Ana Luiza Villela Andrigueti] São Paulo – SP
O sistemático habitante da casa ao lado

Menção honrosa
Poesia Categoria Nacional / Exterior

Cataria Raquel Rocha e Silva – Salgueiro – PE
Mariana

João Augusto Lira – Recife – PE
No coração largo da hora

Liane dos Santos – Rio de Janeiro – RJ
O tempo

Lúcia Helena Figueiredo Neto – Recife – PE

Rogerio Luz – Rio de Janeiro – RJ
Faróis

Poesia
Categoria Local

Marcos Maffei
Diferença nas praças

Gil Jorge
O pescador

Silvina Elena Guala
Alerta Verde

Menção Honrosa
Poesia Categoria Local

Fernando Bacelar
Cantiga de trovador

Paulo Fridman na Galeria Zoom

June 22nd, 2009 por Sergio Fonseca

A Galeria Zoom de Paraty e a FNAC convidam para a inauguração da exposição Retratos Falantes do fotógrafo Paulo Fridman. Na noite será lançado o livro de mesmo nome, com texto de Arnaldo Antunes e projeto gráfico do artista Artur Lescher.

Retratos Falantes - Paulo FridmanRetratos Falantes - Paulo Fridman

Retratos Falantes - Paulo FridmanRetratos Falantes - Paulo Fridman

Munido de uma câmera e folhas de papel branco, o fotógrafo Paulo Fridman partiu para um de seus trabalhos autorais. Com uma espécie de estúdio ambulante, começou a fotografar pessoas nas ruas, pedindo que respondesses, nas folhas em branco, a três perguntas: Quem é você? O que você pensa do futuro do Brasil? Qual é o seu sonho? A exposição reúne cerca de 30 entre as 300 obras realizadas pelo fotógrafo, de 1999 a 2008, onde as composições de retratos e textos contendo as respostas transformam fisionomias anônimas e os registros de seus respectivos desejos em poemas visuais.

Nesta série, que já nasceu premiada no concurso Brasil na Virada do Século, em 2000, foi finalista no Adobe Digital Context e fas parte do acervo da Librery of Congress em Washington, foi também exibida na Pinacoteca do Estado de São Paulo, em recorte com curadoria de Diógenes Moura, em 2004.

A exposição pega carona na FLIP 2009 e é um “esquenta” das atividades do 5o. Paraty em Foco – Festival Internacional de Fotografia de Paraty, que este ano ocorre de 23 a 27 de setembro e promete uma programação atenta às transformações da fotografia documental, onde o trabalho de Fridman é um bom exemplo de “documento repaginado”.

Inauguração: 01 de julho às 18h.
Exposição: de 02 de julho a 07 de setembro. 

GALERIA ZOOM DE PARATY
Rua do Comércio, 5 – Centro Histórico

FLIP já movimenta Paraty

June 20th, 2009 por Sergio Fonseca

O clima da festa já toma conta de Paraty. É grande a movimentação na montagem das tendas e  as atividades de professores e alunos em torno da  Flipinha.

Flávio de Araújo, poeta, morador da cidade de Paraty,  registrou em fotos e antecipa o clima de FLIP. (veja mais fotos no flickr)

perequeacu_telao3_flip2009praca_flipinha2009tenda_flipinha2009

Uma curiosidade toma conta do pessoal das equipes de montagem e também da população local: as palavras, aparentemente sem sentido, impressas nas camisetas da FLIP 2009. Por conta do ano da França no Brasil, há quem jure que é francês. Na verdade são fragmentos de frases. Elas também estampam o belo material de divulgação do evento.

camiseta_flip2009  1_cartaz_flip2009

Desfazendo o mistério: as camisetas, o painel “Bandeira”, que será colocado na Pousada da Marquesa e todo o material da FLIP foi estampado com frases de livros do Manuel Bandeira. A idéia partiu do designer gráfico australiano Jeff Fisher. Como esta é a 7a. edição da festa, ele propôs usar a sétima frase de cada livro de Manuel Bandeira como aplicações de fundo. Coisa de designer. Muito embora acredite que nem o Davi Arrigucci Jr, olhando para o mosaico de palavras, faça alguma idéia do que seja, gostei do resultado.

 flipinha2008_cinema

A foto acima é da Flipinha do ano passado. A novidade? Fique de olho naquele sobrado de portas e janelas amarelas. Ali funcionava o vellho cinema de Paraty, desativado há quarenta anos. O espaço foi totalmente reformado e hoje abriga o Cine Teatro Paraty. Durante a FLIP, será a sede da FlipZona.

FlipZona, programação para adolescentes

June 19th, 2009 por Sergio Fonseca

Em sua sétima edição, a FLIP segue gerando frutos. O diretor geral da Festa Literária, Mauro Munhoz, costuma brincar que, em pouco tempo, a FLIP será apenas uma programação paralela, criada para entreter adultos, enquanto a Flipinha acontece. Para comprovar a porção de realidade contida no bem humorado comentário, a FLIP anuncia novo projeto para sua 7a. edição, a FlipZona.
 
Ao longo dos anos, a organização da Flipinha identificou a necessidade de criar um projeto direcionado aos jovens, que pudesse aproximá-los do universo literário. Na Flipinha do ano passado, durante uma oficina de animação realizada com jovens da região, o uso das novas tecnologias na comunicação pareceu a ferramenta ideal para promover esta aproximação. É com esse conceito que a programação da 1a. FlipZona foi idealizada. Haverá oficinas de produção e edição de áudio e vídeo, caracterização teatral, produção de texto, animação, videogame, fotografia, debates com escritores e profissionais cuja produção mantém relações com o universo jovem, exibição de filmes, etc. Assim como a Flipinha, a FlipZona será um projeto continuado, durante todo o ano, e envolverá toda a rede de ensino de Paraty.
 
Todos os dias haverá projeções, oficinas de animação, produção de textos, arte, grafite, xilogravura, videogame e blog, mídias e comunicação nas escolas e na Central Flipzona de Produção para os alunos da rede escolar de Paraty. O conteúdo das oficinas será projetado na programação da Flipzona.

fonte: Assessoria de Imprensa da FLIP
FlipZona

OFF FLIP 2009

June 18th, 2009 por Sergio Fonseca

off2009

A OFF FLIP 2009 começa a tomar forma. O evento  tem se destacado na vida cultural de Paraty, tornando-se importante espaço de visibilidade e referência para a produção cultural local e nacional. A cada evento, é crescente a representatividade que vem conquistando na cidade, em todo o Brasil e também no exterior. Filho de pescador, o poeta caiçara Flávio de Araújo, revelado e publicado pelo selo OFF FLIP em 2008, participou em maio de 2009, do XIV Festival Internacional de Poesia de Havana, projeto da comissão da  UNESCO em Cuba.

A OFF FLIP homenageia, nas edições anuais do evento, os escritores locais em saraus onde são lidos textos e realizadas apresentações, tendo por base a produção artística e a contribuição dessas personalidades à vida cultural da cidade. A homenageada deste ano será Marina de Mello e Souza, autora de um dos livros mais importantes já publicados sobre Paraty. PARATY: A CIDADE E AS FESTAS.

Veja a matéria da TV RioSul NET sobre a OFF FLIP e Flávio de Araújo.
If you can see this, then you might need a Flash Player upgrade or you need to install Flash Player if it's missing. Get Flash Player from Adobe.

A programação cultural traz várias atrações.  Veja os eventos que já estão programados para a OFF FLIP 2009.

Oficina ministrada por Carlito

June 18th, 2009 por Ane Aguirre

O poeta Carlito Azevedo vai ministrar a Oficina FLIP 2009: Poesia, o ofício do verso, que seria conduzida por Paulo Henriques Britto. 

A subsitiuição ocorre devido a problemas de saúde de Britto.

No Blog Oficial

June 16th, 2009 por Ane Aguirre

Tobias Wolff não virá e no lugar dele vem James Salter. É claro que é sempre uma surpresa quando um autor cancela sua participação. É comum um sorriso de canto quando lemos que os motivos são “problemas de saúde” (quando não são problemas de família). Seja como for, um dos melhores pontos desta edição da FLIP é seu diretor de programação. No texto de Flavio Moura sobre Tobias Wolff e nas boas vindas a James Salter, cala-se o sorriso de canto e nos absorve uma sensação boa que é a essência de todas as FLIPs, ou pelo menos, o que nos fica de bom de cada uma delas.

Tobias Wolff não vem

June 16th, 2009 por Ane Aguirre

Abaixo reproduzimos e-mail enviado pela assessoria de imprensa da FLIP:

A organização da FLIP informa que o escritor Tobias Wolff não poderá vir à Festa Literária devido a questões de saúde.

Para substituí-lo, a FLIP convidou o norte-americano James Salter, que dividirá a mesa Segredos de Família com Anne Enright, no sábado (04/07), às 15hs.

Salter (1925, Passaic, New Jersey, Estados Unidos) iniciou sua carreira como escritor após servir durante vinte anos como piloto da Força Aérea norte-americana e participar de mais de cem missões na Guerra da Coreia (1950), experiência que resultou em seu primeiro romance, The Hunters (1956). O livro ganhou adaptação para o cinema em filme homônimo de 1958, estrelado por Robert Mitchum. Desde então, Salter abandonou a carreira militar e publicou romances como Solo faces (1979) e Um esporte e um passatempo (1997) e as reuniões de contos Dusk and other stories (1988, prêmio PEN/Faulkner) e Last night (2005), cujas histórias foram selecionadas para o volume brasileiro Última noite, publicado em 2008. O escritor contribui na revista New Yorker e, entre suas influências, são citados Ernest Hemingway e William Faulkner.

Ingressos FLIP Casa da Cultura

June 15th, 2009 por Ane Aguirre

A programação FLIP Casa da Cultura já foi divulgada. Há uma novidade na página de notícias da FLIP, site oficial:

Os ingressos da FLIP – Casa da Cultura serão vendidos apenas em Paraty, a partir do dia 1° de julho, às 9h, na bilheteria da FLIP e na Casa da Cultura com valor de R$ 10,00 por evento.

Ingressos para o show Estrela para toda a vida, na sexta-feira, dia 03, 22h, com Olivia e Francis Hime, serão vendidos pelo site Ingresso Rápido, pelo telefone (4003-1212, número nacional) e nos pontos-de-venda Ingresso Rápido, a partir das 10h do dia 17 de junho.

Preço do ingresso para o show não foi divulgado ainda.

Programação FLIP Casa da Cultura

June 15th, 2009 por Ane Aguirre

A programação FLIP Casa da Cultura aparentemente está pronta, conforme divulgação do jornal O Estado de São Paulo. Manteremos atualizada caso ocorra qualquer alteração.

Update:
Confirmado. Neste final de tarde a programção completa foi divulgada pelo site oficial do evento.

Matérias, vídeos e tal.

June 14th, 2009 por Ane Aguirre

Na página de Matérias acrescentamos algumas com Simon Schama, Rodrigo Lacerda e Catherine Millet.

Há novos vídeos interessantes: Gay Talese conversa com o jornalista Nelson Dean da Point Loma Nazarene University e dá dicas sobre a arte da profissão; Tatiana Salém Levy conversa com Francisco José Viegas e José Vieira Mendes sobre A chave de casa. Também é bom dar uma espiada nos chineses que estarão na FLIP, a jornalista e escritora Xiran está num vídeo falando sobre seu último livro China Witness e há uma matéria na NTDTV sobre Beijing Coma (Pequim em Coma), livro mais recente de Ma Jian.

Bate-papo entre leitores freqüentadores da FLIP, sugestões, idéias e dicas em nossa Comunidade no Orkut.

Informações rápidas, quentinhas e interação em tempo real acontecem no Twitter Não Oficial da FLIP.

E por falar em Twitter, está ótimo o Época na FLIP. com suas inteligentes e divertidas “resenhas haicai” e o Blog Festa em Paraty da Época. Imperdível.